Governo já identificou piratas, afirma premier somali

O governo da Somália identificou diversos líderes dos piratas que atuam no Golfo de Áden, mas precisa de mais recursos para combatê-los. A afirmação foi feita hoje pelo primeiro-ministro do país, Omar Abdirashid Ali Sharmarke, em entrevista à Associated Press. Sharmarke declarou-se disposto a compartilhar suas informações com outros governos. Ele disse ainda ter planos de combater os piratas reforçando suas forças armadas e estabelecendo uma rede de espionagem ao longo da costa.

AE-AP, Agencia Estado

16 de abril de 2009 | 13h16

No entanto, não se sabe como isso seria feito, pois o controle do frágil governo somali não se estende além de alguns quarteirões de Mogadiscio, a devastada capital do país. A Somália não tem governo central desde 1991, quando senhores da guerra derrubaram o ditador Mohamed Siad Barre e depois voltaram-se uns contra os outros. A partir de 2004, governos provisórios apoiados pela Organização das Nações Unidas (ONU) passaram a ser formados, mas todos eles, inclusive o atual, encontraram extrema dificuldade para impor autoridade.

Tudo o que sabemos sobre:
Somáliapiratasgoverno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.