Governo japonês aprova prorrogação de apoio aos EUA no Afeganistão

O governo japonês aprovou a prorrogação, por um ano, da Lei Especial de Medidas Antiterroristas, que garante assistência logística e naval às forças dos Estados Unidos no Afeganistão. A Lei Especial de Medidas Antiterroristas foi promulgada em outubro de 2001. Ela já tinha sido prorrogada por dois anos em outubro de 2003 e por mais um em 2005. Sua validade terminaria dia 1º denovembro. Em comunicado, o governo japonês disse que espera que a extensão da Lei seja aprovada no fim do mês pelo Parlamento. O Partido Liberal Democrata (PLD, governante) tem ampla maioria. O novo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, tinha destacado aprorrogação do apoio aos EUA como uma prioridade de sua administração neste ano, ao lado da revisão da Lei Fundamental da Educação. Como a Constituição pacifista do Japão proíbe sua participação em sistemas coletivos de defesa fora do país, foi necessária uma lei especial promulgada após os atentados de 11 de setembro de 2001 para permitir a ajuda aos EUA. Pela lei, os navios japoneses reabastecem os dos Estados Unidos e seus aliados no Oceano Índico que participam da "operação antiterrorista do Afeganistão", nome dado no Japão à campanhaamericana no país. O Japão foi um dos primeiros países a apoiar o presidente George W. Bush, em outubro de 2001, quando ele lançou sua ofensiva antiterrorista que levou à derrubada do regime talibã afegão. A oposição japonesa, porém, criticou a extensão da Lei Especial de Medidas Antiterroristas. O Partido Democrático do Japão (PDJ)diz que ela é um "símbolo da atual subordinação do país aos Estados Unidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.