Governo japonês quer que trabalhadores tirem mais férias

Média de férias do trabalhador japonês em 2008 foi de 8,5 dias, 47,4% dos 18 dias que dispunham

Efe,

19 de março de 2010 | 01h45

O governo japonês recomendou nesta sexta-feira, 19, que as empresas do país devem encorajar seus trabalhadores a tirar duas semanas seguidas de férias.

 

A recomendação do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar japonês, não vinculativa, tenta evitar o excesso de horas de trabalho dos empregados japoneses, o que em algumas ocasiões causa problemas de saúde e levou alguns à morte por excesso de trabalho.

 

O governo pediu às empresas que tentem estabelecer objetivos de férias remuneradas que durem duas semanas.

 

Segundo a agência local Kyodo, o Ministério pediu que as empresas não permitam que seus trabalhadores sofram estresse, já que as extensas horas de trabalho, especialmente nos escritórios de todo o país, são uma das principais causas de problemas mentais na população.

 

Segundo os últimos dados oficiais, a média de férias de um trabalhador japonês em 2008 foi de 8,5 dias, 47,4% dos 18 dias que dispunham.

 

O governo espera que em 2012 os trabalhadores utilizem 60% de seus dias de férias, e que até 2017 tirem todos os dias previstos em lei.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãofériastrabalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.