Governo limita gasto em dólar e desvaloriza peso em 3,5%

BUENOS AIRES - O governo argentino promoveu ontem a desvalorização de 3,5% do peso em relação ao dólar, a maior em vários anos, de acordo com jornais locais. Com isso, a cotação oficial foi de 6,90 pesos por dólar, registrada na terça-feira, para 7,15.

Marina Guimarães, Correspondente - O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2014 | 02h02

No paralelo, a cotação foi a 12,15 - o que significou 25 centavos a mais do que a cotação do dia anterior.

Ao mesmo tempo, o governo ampliou as restrições para as compras no exterior pela internet para evitar a saída de dólares. A medida, publicada no Diário Oficial, limita a duas compras por ano, por pessoa, com um limite total de US$ 25 sem ter de pagar imposto alfandegário. O consumidor que gastar mais que o limite estabelecido será classificado como importador. E, como tal, deverá se submeter a várias outras condições e barreiras para realizar suas compras online.

A nova norma complementa medida editada na terça-feira, que impôs ao consumidor a obrigatoriedade de apresentar declaração juramentada à Administração Federal de Rendas Públicas (Afip, pela sigla em espanhol), equivalente à Receita Federal, para fazer qualquer compra pela internet no exterior.

Na medida precedente, o limite de US$ 25 já havia sido estabelecido para a cobrança de tarifa de 50% do valor da transação, incluindo custos de envio.

No preâmbulo da medida, a Afip argumentou que o "grande incremento" produzido no uso do sistema de compras no exterior pela internet "dificulta o controle do serviço de alfândega". Para facilitar esse trabalho, acrescentou que "é necessário implementar medidas tendentes a contar com maior informação para a liberação desses envios".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.