Governo não está aberto a diálogo, diz oposição síria

O líder da oposição na Síria, Ahmed Moaz Al-Khatib, disse nesta segunda-feira que "não recebeu uma resposta clara" do regime do presidente sírio, Bashar Assad, sobre sua proposta de diálogo. No fim de janeiro, Khatib havia dito que estava preparado para conversar diretamente com representantes do governo que não tivessem "sangue nas mãos", e desde que as discussões envolvessem a substituição de Assad.

AE, Agência Estado

11 de fevereiro de 2013 | 20h51

"A questão está agora nas mãos do regime. Eles ainda não responderam se aceitam a saída de Assad, não houve contato oficial até agora", disse Khatib. "Estou enviando uma última mensagem ao regime, para que ele tente entender o sofrimento do povo sírio, porque a revolução vai continuar. Pedimos ao regime que saia para evitar mais sangue e destruição. Não queremos guerra, mas não temos nada contra continuar até morrermos para que a Síria se livre desse regime."

O governo de Assad havia dito que estava aberto a conversas, mas sem pré-condições. A proposta de Khatib foi recebida com entusiasmo pelos Estados Unidos e pela Liga Árabe, assim como pelos aliados sírios Rússia e Irã, com quem o líder da oposição recentemente conversou. Mas o pedido de diálogo causou tensão dentro da coalizão de oposição. Um dos seus principais membros, o Conselho Nacional Sírio, se opõe veementemente a conversas com o regime até que Assad renuncie. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.