Governo neozelandês elogia rapidez no julgamento de Blake

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Helen Clark, elogiou nesta quinta-feira os esforços das autoridades brasileiras em condenar os assassinos do velejador neozelandês Peter Blake, morto no dia 5 de dezembro do ano passado em Macapá. "Nos sentimos confortados pela agilidade com que o governo do Brasil acelerou as investigações e o processo judicial, além do veredicto dado aos culpados", disse a primeira-ministra. Já o irmão do velejador, Tony Blake, disse que a sentença é "é apenas um pequeno consolo para a família". As sete pessoas que participaram do assassinato de Blake foram condenados nesta quarta-feira a penas que somam 193 anos de prisão, por latrocínio, assalto seguido de morte, pelo juiz da 2ª Vara de Justiça Federal de Rio Branco, no Acre. O crime ocorreu no balneário da Fazendinha, quando a quadrilha de "ratos d´água" invadiu o veleiro Seamaster para roubar objetos e dinheiro e matou o velejador, que reagiu ao assalto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.