Governo nigeriano prende 400 pessoas por sequestros

As autoridades do estado sulino de Akwa Ibom na Nigéria disseram na segunda-feira que tinham detido mais de 400 pessoas como parte de uma operação de combate a uma onda de sequestros na região.

REUTERS

15 de novembro de 2010 | 17h19

O sequestro de trabalhadores estrangeiros do setor de petróleo e nigerianos ricos é comum há anos em Port Harcourt, o polo petrolífero no Delta do Níger, mas agora se espalhou para áreas próximas, incluindo Akwa Ibom.

O presidente Goodluck Jonathan fez da redução dos sequestros na área uma das prioridades de seu governo.

"O comando prendeu mais de 400 suspeitos de conexão com sequestros no Estado. E nas últimas semanas o comando foi capaz de reduzir o número de sequestros", afirmou o vice-comissário da polícia Yuguda Abdullahi.

A maior parte dos sequestros tem como alvo os nigerianos ricos e aconteceram em terra, mas também ocorreram sequestros recentemente de estrangeiros trabalhando na costa de Akwa Ibom.

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIASEQUESTROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.