Governo ordena dissolução do maior partido xiita do Bahrein

Autoridades afirmam que Al-Wefaq 'ameaça a paz'; decisão é parte de repressão a protestos

Agência Estado

14 de abril de 2011 | 13h27

MANAMA - A agência oficial de notícias do Bahrein informou nesta quinta-feira, 14, que as autoridades ordenaram a dissolução do maior partido xiita do país, o Al-Wefaq, que tem liderado protestos contra o governo da monarquia sunita.

 

Veja também:

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos na região

 

 

Segundo reportagem da agência, o ministro da Justiça do Bahrein tomou "ações legais" para dissolver o Al Wefaq "por ameaças à paz". A decisão é parte da repressão do governo contra a oposição xiita, depois de semanas de protestos.

 

 

A decisão do governo de dissolver o al-Wefaq ocorre depois da prisão de mais 300 ativistas xiitas e da demissão em massa de centenas de xiitas de companhias que participaram dos protestos dos últimos meses. Blogueiros e editores do único jornal independente do Bahrein também sofreram perseguição.

 

O Bahrein decretou lei marcial no mês passado para conter a revolta, deteve importantes líderes opositores, centenas de manifestantes e ativistas políticos. Pelo menos 30 pessoas morreram deste o início dos conflitos, em 14 de fevereiro.

 

Os manifestantes xiitas tomaram as ruas do pequeno reino do Golfo Pérsico para pedir maiores liberdades políticas e lutar contra a discriminação do governo, liderado pela família sunita do rei Hamad bin Isa al-Khalifa. Cerca de 70% da população bahreinita é xiita. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.