Governo palestino condiciona abertura da fronteira de Gaza

O novo governo de emergência palestino anunciou nesta segunda-feira, 9, que permitirá a abertura da única passagem fronteiriça que liga a Faixa de Gaza com o resto do mundo, se os homens de segurança do Hamas se afastarem três quilômetros da fronteira. O ministro da Informação palestino, Riad Malki, disse nesta segunda em uma entrevista coletiva no Egito que a Autoridade Nacional Palestina (ANP) permitirá a abertura da passagem fronteiriça de Rafah, entre a Faixa de Gaza e o Egito, se os homens do movimento islâmico Hamas se afastarem pelo menos três quilômetros da mesma. Rafah, a única saída da Faixa de Gaza administrada pela ANP - mas cuja abertura depende, na prática, de Israel - permanece fechada desde a tomada do território pelo Hamas, em 14 de junho. Além disso, Malki culpou o Hamas pela situação de 6 mil palestinos presos na parte egípcia da passagem de Rafah, dos quais 3 mil já aceitaram atravessar a fronteira de Kerem Shalom, entre o Egito e Israel, controlada pelas autoridades israelenses. No entanto, Malki destacou o compromisso de Abbas com os acordos fronteiriços que estabelecem que Rafah é a passagem natural da Faixa de Gaza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.