Governo peruano revoga decreto que permitia anistia a militares e policiais

PERU

, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2010 | 00h00

O governo peruano revogou o decreto que permitia a anistia a militares e soldados acusados pelas atrocidades durante o período da insurgência no país, entre 1980 e 2000. A decisão foi anunciada depois da onda de protestos liderada pelo escritor peruano Mario Vargas Llosa, que renunciou à presidência da comissão responsável pela construção do Museu da Memória, em homenagem às vítimas da violência terrorista no país. A lei, promulgada no início do mês, previa a prescrição de processos contra militares e policiais por violações dos direitos humanos se nenhuma sentença fosse determinada em 36 meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.