Governo pode apelar de investigação contra Berlusconi

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, disse hoje que o governo italiano poderá apelar ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos a fim de alegar que a investigação que a promotoria de Milão conduz sobre o envolvimento do primeiro-ministro do país, Silvio Berlusconi, com uma rede de prostituição constitui violação da privacidade do premiê. Frattini é aliado e amigo de Berlusconi.

AE, Agência Estado

10 de fevereiro de 2011 | 15h47

A promotoria de Milão quer julgar o primeiro-ministro sob a acusação de que ele pagou para fazer sexo com uma menor de 18 anos, a marroquina Kharima El-Marough, e que usou o poder do cargo de premiê para tentar esconder os fatos. Berlusconi descarta todas as acusações e afirma que fazem parte de uma campanha de difamação.

Frattini afirmou que existe "uma rica jurisprudência" no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos em Estrasburgo (França). Ele disse que "a violação de privacidade é um tema que pode ser levantado não só na Itália, como também no tribunal de Estrasburgo". As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.