Governo precisa mudar cenário argentino

"O governo argentino terá que adotar novas medidas ou anunciar um novo pacote ou uma notícia muito boa para mudar o cenário da Argentina." A afirmação é do economista do Lloyds Bank, Alejandro Loizaga, que afirmou à Agência Estado "ter sido surpreendido pela tão rápida evaporação dos benefícios do swap". Segundo ele, pela lógica, o governo "não deveria estar sendo obrigado a aceitar taxas de juros tão altas", como as que teve que pagar no leilão de Letes e Bontes desta terça, depois da megatroca. Alejandro Loizaga destaca que embora o governo tenha pago taxas altas, "foi melhor ter realizado o leilão do que suspendê-lo, conforme boatos que corriam no exterior, pela manhã". De acordo com ele, a suspensão do leilão teria sido "desastrosa, mas o pior desastre é que o problema da Argentina não é econômico, é político", afirma o analista numa referência às reformas e aos cortes de gastos que o governo não consegue executar por falta de consenso político. Uma das reformas é a da previdência social que, segundo o compromisso do governo com o FMI, deveria sair ainda neste semestre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.