Governo prorroga estado de emergência no sul da Tailândia

O governo da Tailândia prorrogou o estado de emergência nas províncias muçulmanas de Narathiwat, Yala e Pattani, no sul do país, como parte de sua estratégia contra a rebelião separatista que causou mais de 1.300 mortes nos últimos 28 meses. O estado de emergência, segundo a lei decretada em julho passado sem a aprovação do Parlamento, que expiraria o 20 de abril, continuará em vigor por mais três meses. O primeiro-ministro interino, general Chidchai Vanasatidya, disse que o estado de emergência nas três províncias foi prorrogado devido ao movimento separatista islâmico que, segundo ele, "continua pondo vidas e propriedades em risco". Cerca de 30 mil soldados e policiais estão mobilizados nas três províncias muçulmanas separatistas. O estado de emergência permite às forças de segurança fazer detenções sem autorização judicial, deter os suspeitos durante 30 dias, confiscar propriedades e outros bens, grampear os telefones e censurar a imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.