Governo rejeita mediador de Annan

O ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan disse ontem que o governo do Quênia e o partido do presidente Mwai Kibaki rejeitaram a pessoa que ele propôs como mediador para a crise desatada após as eleições presidenciais, em 27 de dezembro, que deixou mais de 800 mortos. O empresário sul-africano Cyril Ramaphosa - proposto como mediador - teve um importante papel nas negociações para acabar com o apartheid em seu país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.