Governo romeno sobrevive a voto de confiança

O governo da Romênia sobreviveu hoje a um voto de confiança no Parlamento, enquanto dezenas de milhares de manifestantes tomaram as ruas da capital Bucareste em protesto contra as medidas de austeridade adotadas pelo poder executivo. Os manifestantes marchavam e gritavam "abaixo o governo".

AE-AP, Agência Estado

27 de outubro de 2010 | 16h00

O voto de confiança e os protestos ocorrem no momento em que funcionários do Fundo Monetário Internacional (FMI) visitam a Romênia para fazer uma revisão da situação da cambaleante economia do país. O secretário do Parlamento, Dumitru Pardau, disse que a oposição não obteve os 17 votos necessários para aprovar a não confiança e derrubar o governo.

A Romênia tomou um empréstimo de 20 bilhões de euros (US$ 27,8 bilhões) do FMI, da União Europeia (UE) e do Banco Mundial no ano passado, quando teve uma retração econômica de 7,1% no Produto Interno Bruto (PIB). Em troca, o governo romeno prometeu cortar os gastos e tomou medidas bastante drásticas de austeridade, cortando salários dos funcionários públicos em 25% e aumentando os impostos sobre vendas de mercadorias e serviços de 19% para 24%.

George Vieru, um marceneiro de 22 anos, disse que viajou da cidade de Iasi, onde vive, para Bucareste para protestar "junto às outras pessoas que estão sendo afetadas" pelas medidas do governo. Vasilica Cristea, funcionária de uma empresa de eletricidade, de 43 anos, disse que protestou em apoio "aos professores, policiais e outros funcionários públicos que sofrem com os cortes salariais". Segundo ela, o governo romeno tomou "medidas abusivas".

Segundo a polícia, 30 mil manifestantes protestaram em frente ao Parlamento, na capital. A oposição social-democrata e liberal disse que forçou o voto de confiança no Parlamento para se opor às duras medidas adotadas pelo governo centrista para combater a crise econômica. Mais cedo, antes da votação no Parlamento, o primeiro-ministro Emil Boc pediu aos parlamentares que rejeitassem a moção e alertou que as medidas pretendidas pela oposição para combater a crise econômica apenas irão piorar a situação. Boc disse entender a raiva da população, mas afirmou que o governo fez todo o possível para minorar os efeitos da crise econômica.

Esse foi o segundo voto de confiança que o governo liderado por Boc enfrenta em 10 meses. Em outubro de 2009, outro governo da Romênia, também liderado por Boc, caiu após ter perdido a votação de confiança no Parlamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Romêniavoto de confiançaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.