Khaled al-Hariri/Reuters
Khaled al-Hariri/Reuters

Governo sírio diz ter retomado controle de vila rebelde

Segundo a televisão estatal, forças retomaram controle da área de Heffa após oito dias de confronto

AE, Agência Estado

13 de junho de 2012 | 10h31

BEIRUTE, LÍBANO - Forças sírias expulsaram, nesta quarta-feira, 13, rebeldes que estavam na área de Heffa, na costa do Mar Mediterrâneo. Segundo a televisão estatal, elas retomaram o controle da região após oito dias de violentos bombardeios e confrontos.

Veja também:

linkSoldados sírios entram no Líbano e sequestram cidadão libanês

linkVeículos de observadores da ONU são alvo de disparos na Síria

tabela ESPECIAL: Primavera Árabe

A montanhosa região é uma das várias áreas onde forças do governo combatem rebeldes na tentativa de recuperar território. A retomada da região é particularmente importante para o regime porque a cidade fica a cerca de 30 quilômetros da cidade natal do presidente Bashar Assad, Kardaha, na província de Latakia, que é o berço da minoria alawita, à qual Assad e a elite governante pertencem.

A televisão estatal informou que forças do regime haviam "limpado" Heffa de "grupos terroristas armados".

Acredita-se que centenas de combatentes rebeldes estavam agrupados no local e que saíram durante a noite, após intensos combates em Heffa e nas vilas próximas. Os combatentes rebeldes fugiram para as vilas de Zanqufa, Dafil e Bakkas, disse Rami Abdul-Rahman, diretor do Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, grupo sediado em Londres.

Não está claro ainda se os observadores da Organização das Nações Unidas (ONU) conseguirão chegar a Heffa. Na terça-feira, uma multidão irritada lançou pedras e paus contra os veículos dos observadores na medida em que se aproximavam da área, forçando-os a dar meia-volta.

Explosões e chamas foram vistos na cidade de Homs, região central do país, onde forças sírias realizaram contínuos bombardeios que atingiram os bairros de Khaldiyeh, Jouret al-Shayyah e a cidade velha, controlados por rebeldes.

Na cidade de Deir Baalbah, soldados e rebeldes trocaram disparos em áreas residenciais, como mostra um vídeo amador que supostamente mostra uma cena do local.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.