Governo sul-africano esclarece crítica de presidente a donos de cães

Jacob Zuma disse que animais de estimação são parte da cultura branca.

BBC Brasil, BBC

27 de dezembro de 2012 | 17h12

O governo da África do Sul tentou esclarecer uma declaração do presidente do país, Jacob Zuma, na qual critica donos de cães.

Segundo o jornal sul-africano Mercury, Zuma fez a declaração diante de milhares de partidários durante um comício na província de KwaZulu-Natal.

O jornal informou que Zuma disse que as pessoas que gastam dinheiro comprando um cachorro, levando-o para um veterinário e para passeios, pertenciam à cultura branca.

Para ele, o estilo africano é se concentrar na família.

O presidente, de acordo com o Mercury, também criticou uma nova geração de jovens africanos que estariam tentando adotar outros estilos de vida e até tentando parecer com outras etnias.

"Mesmo se você aplicar qualquer tipo de loção e alisar seu cabelo, você nunca será branco", disse Zuma, segundo o jornal.

'Descolonização'

Nesta quinta-feira, o porta-voz da Presidência, Mac Maharaj, afirmou que Zuma estava apenas alertando contra um amor maior pelos animais do que pelos seres humanos.

"Mais do que isto, a mensagem essencial do presidente foi da necessidade de descolonizar a mente africana, após a liberação, para permitir que a maioria africana, que era oprimida anteriormente, aprecie e ame quem eles são e mantenham a própria cultura", informou o porta-voz em uma declaração.

Maharaj ainda afirmou que muitas pessoas não hesitam em "correr com os cães para o veterinário quando eles estão doentes, enquanto ignoram trabalhadores ou familiares que também estão doentes nas mesmas residências".

"Isto não é dizer que os animais não devem ser amados ou receber cuidados. A mensagem [de Zuma] simplesmente destaca a necessidade de não elevar nosso amor pelos animais acima do nosso amor por outros seres humanos."

Redes sociais

Os comentários de Zuma desencadearam uma reação negativa em redes sociais e alguns donos acusaram o presidente sul-africano de indiferença aos animais de estimação.

Outros chegaram a acusá-lo de racismo.

A porta-voz da Sociedade para Prevenção da Crueldade contra Animais (SPCA) da África do Sul, Christine Kuch, afirmou ao jornal Mercury que não comentaria a declaração de Zuma, já que não tinha ouvido pessoalmente o discurso do presidente.

Mas afirmou que não é possível "ter compaixão por animais se não tivermos compaixão por crianças e pelos idosos", e acrescentou que, na maioria dos casos, cuidar dos animais beneficia as pessoas.

Segundo correspondentes, não é a primeira vez que Jacob Zuma cria polêmica.

Alguns comentários anteriores do presidente já enfureceram feministas, homossexuais e intelectuais negros. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.