AP Photo/Evan Vucci
AP Photo/Evan Vucci

Governo Trump impõe novas sanções contra Irã

Sanções chegam apenas dois dias depois de Trump ter anunciado a saída dos EUA do acordo nuclear com o Irã e potências internacionais e a reintrodução de bloqueios econômicos  

O Estado de S.Paulo

10 Maio 2018 | 15h31

NOVA YORK - O governo de Donald Trump impôs novas sanções contra o Irã, desta vez atingindo seis pessoas ligadas à Força Quds, unidade especial do Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica do país persa. 

+Israel acusa Irã de disparar mísseis contra exército no Golan

As medidas, anunciadas pelo Departamento do Tesouro nesta quinta-feira, 10, também têm como alvos três iranianos acusados de apoiar o terrorismo. As sanções chegam apenas dois dias depois de Trump ter anunciado a saída dos EUA do acordo nuclear com o Irã e potências internacionais e a reintrodução de bloqueios econômicos.       

Israel, aliado dos Estados Unidos no Oriente Médio, acusa a Força Quds de ter lançado cerca de 20 mísseis contra as Colinas do Golan, território antes pertencente à Síria e ocupado pelo país judeu desde 1967.       

O Exército israelense reagiu e fez sua "maior operação aérea nos últimos anos", atingindo dezenas de alvos militares do Irã na Síria. "O Irã ultrapassou uma linha vermelha, e a reação foi adequada", afirmou o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu.       

Israel vê com preocupação o crescente ativismo político e militar de Teerã no Oriente Médio, em especial na vizinha Síria, onde o país persa contribuiu decisivamente para a vitória de Bashar Assad na guerra.  

Com sua crescente influência em Damasco, o Irã pode criar um corredor passando por Iraque e Síria e chegando ao Líbano, onde tem laços estreitos com o grupo xiita Hezbollah. Tanto a milícia quanto Teerã não reconhecem o Estado de Israel. / Ansa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.