Michaela Rehle/Reuters
Michaela Rehle/Reuters

Governo Trump quer suspender regras sobre poluição dos carros

Projeto prevê eliminar metas criadas na era Obama para a indústria automobilística fabricar veículos mais econômicos e menos poluentes

O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2018 | 23h30

WASHINGTON - O governo do presidente Donald Trump apresentou nesta quinta-feira sua esperada proposta para suspender as regras antipoluição para veículos, enfraquecendo significativamente a política de seu antecessor, Barack Obama, para reduzir a poluição e combater o aquecimento global.

As novas regras também desafiarão os direitos dos Estados, a Califórnia em particular, de determinarem por conta própria padrões mais rigorosos no combate à poluição. A proposta deve desencadear uma disputa legal que pode dividir o setor automobilístico dos EUA.

O projeto do governo atraiu críticas não apenas de ambientalistas, consumidores e representantes da indústria automobilística, mas também de Estados, que estão tentando modificar o plano antes que ele seja finalizado.

A proposta, divulgada em conjunto pela Agência de Proteção Ambiental e o Departamento dos Transportes, poderá levar à suspensão de um decreto de 2012 exigindo que os fabricantes reduzam a quase 50% o consumo de combustível em veículos de passageiros até 2025. As regras exigem que as empresas automobilísticas fabriquem veículos mais econômicos e menos poluentes, incluindo híbridos.

As regras da era Obama, que buscavam reduzir as emissões de gases efeito estufa e o consumo do petróleo, foram condenadas pelos fabricantes de veículos, para quem elas eram muito onerosas. No entanto, o projeto de Trump vai muito além do que os fabricantes queriam e agora eles temem que as longas disputas legais e a incerteza regulamentar possam complicar seus negócios.

O governador da Califórnia, Jerry Brown, disse que seu Estado está preparado para lutar. “O fato de Trump destruir uma lei aprovada inicialmente a pedido de Ronald Reagan cinco décadas atrás é uma traição e um ataque à saúde dos americanos”, disse.

Em um comunicado intitulado “Tornar os carros grande novamente”, que foi publicado no site do Wall Street Journal, a secretária de Transportes, Elaine L. Chao, e Andrew Wheeler, administrador da Agência de Proteção Ambiental, escreveram que as regras da era Obama podem impor “grandes custos para os consumidores americanos e levar à eliminação de empregos”.

Segundo eles, sua proposta “dará aos consumidores maior acesso a veículos mais baratos e seguros, ao mesmo tempo em que protegem o meio ambiente”.

O plano propõe congelar a média dos padrões de consumo após 2021 em cerca de 16 km por litro. Ele também revogará uma medida legal que garantiu à Califórnia sob o Ato do Ar Limpo, de 1970 – seguida agora por outros 13 Estados –, determinar seus padrões de poluição, mais rigorosos do que os federais. Funcionários do governo dizem que, ao promover veículos mais leves, as regras da era Obama poderiam levar a 12.700 mortes a mais em acidentes nos próximos 13 anos. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.