AFP PHOTO / ILYAS AKENGIN
AFP PHOTO / ILYAS AKENGIN

Governo turco mata 29 militantes curdos

Membros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) foram mortos no leste do país

O Estado de S.Paulo

26 Maio 2017 | 03h43

DIYARBAKIR - Forças de segurança da Turquia mataram 29 militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) em uma operação nas regiões montanhosas de Agri e de Van, no leste do país, afirmou o governo de Agri nesta sexta-feira, 26.

O Exército turco afirmou na quinta que três soldados turcos e um membro da segurança de uma vila foram mortos em uma operação, lançada nos arredores de uma montanha próxima à fronteira das duas províncias e do Irã. 

Um cessar-fogo entre a Turquia e os militantes foi rompido em julho de 2005 e desde então os curdos têm vivenciado uma das piores violências desde que a insurgência do PKK começou, em 1984.

Em 2007, o PKK propões abandonar a luta armada em 2007 caso o governo turco reconhecesse a língua e identidade curdas, permitisse o direito à liberdade de associação e criasse um projeto de reconciliação nacional, além de retirar tropas turcas das regiões curdas. O acordo não foi concretizado. 

Mais de 40 mil pessoas, principalmente curdos, foram mortos no conflito. O PKK é visto como um grupo terrorista pela Turquia, pelos Estados Unidos e pela União Europeia. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.