Governo venezuelano diz que ''''The New York Times'''' é ''''braço'''' da Casa Branca

O governo venezuelano abriu ontem mais um capítulo em sua briga com a imprensa estrangeira. Dessa vez, o alvo foi o jornal americano The New York Times, que, segundo o ministro venezuelano da Informação, William Lara, "não é mais que um dos braços midiáticos do governo (do presidente dos EUA, George W.) Bush". As críticas de Lara foram uma resposta a um editorial do jornal publicado na véspera, que falava sobre o projeto de reforma constitucional apresentado pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, na semana passada. Segundo The New York Times, a reforma é "mais um passo na marcha de Chávez para aumentar seu controle sobre a política e a economia na Venezuela". O jornal também chamou o sistema político venezuelano de "uma democracia participativa da qual só Chávez e seus amigos participam"."Esse jornal justifica os desmandos do Departamento de Estado (dos EUA) em países como o Iraque e, por outro lado, empreende ataques contra governos democráticos que atentam contra seus interesses hegemônicos", disse Lara. A reforma proposta por Chávez inclui o fim do limite para as reeleições presidenciais - o que permitiria ao líder venezuelano ficar no poder por tempo indefinido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.