Governo venezuelano nega exportação secreta de urânio

O governo da Venezuela reafirmou nesta quinta-feira que "são falsas" as versões que indicam que houve extração e exportação secreta de urânio no país e voltou a alertar que isso faz parte de "uma campanha internacional contra o presidente Hugo Chávez". A última matéria, publicada na quarta-feira pelo jornal El nuevo país, aponta um relatório do serviço secreto de Israel afirmando que "as áreas com maior atividade de extração" estão na fronteira com o Brasil. Na terça-feira, Chávez disse que outras versões "divulgadas por veículos de comunicação internacionais" acusam seu governo de "enviar urânio ao Golfo Pérsico para a fabricação de bombas Atômicas". Para ele, as afirmações fazem parte de um "plano imperialista", cujos autores "não têm limites em sua capacidade de inventar mentiras". A ministra venezuelana da Ciência e Tecnologia, Yadira Córdova, esclareceu as acusações no canal estatal de televisão "VTV" e desafiou os autores das reportagens a visitarem a região onde supostamente o mineral nuclear é extraído.

Agencia Estado,

09 Março 2006 | 16h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.