Governo vigia chegada de ativistas em voos

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, afirmou ontem que as forças de segurança vão barrar cerca de 700 ativistas europeus e americanos pró-Palestina que devem chegar hoje ao aeroporto de Tel-Aviv, a caminho da Cisjordânia. Netanyahu reuniu-se na quarta-feira com ministros para coordenar as medidas que serão tomadas contra o que chamou de "flotilha aérea". Ele pediu a governos estrangeiros que impeçam os ativistas de viajar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.