REUTERS/Hannah McKay
REUTERS/Hannah McKay

Governos condenam ataque em Londres e oferecem apoio

Porta-voz da Casa Branca elogiou 'rápida resposta'; Merkel disse que Alemanha enfrentará luta contra o terrorismo ao lado do Reino Unido

O Estado de S.Paulo

22 de março de 2017 | 18h26

O governo dos Estados Unidos condenou nesta quarta-feira, 22, o atentado terrorista registrado em Londres e ofereceu "total apoio" ao Reino Unido para investigar e encontrar os responsáveis pelo ataque, que deixou ao menos quatro mortos e 20 feridos.

Em entrevista coletiva, o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, indicou que Trump foi informado sobre o ataque e conversou por telefone com a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May.

Acompanhe as atualizações do caso ao vivo.

Spicer lembrou que o governo britânico está tratando o ocorrido como um ataque terrorista e elogiou a "rápida resposta" das autoridades do país.

O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, expressou condolências às vítimas e suas famílias em comunicado.

"Condenamos esses horríveis atos de violência, não importando se eles foram realizados por indivíduos com problemas ou por terroristas. Para as vítimas não há diferença", afirmou Tillerson em nota divulgada pelo Departamento de Estado.

Em outro comunicado, o Departamento de Segurança Nacional (DHS) disse que o governo dos EUA está em "estreito contato" com as autoridades britânicas para "apoiar a investigação em andamento".

O DHS, por outro lado, disse que a postura de segurança doméstica dos EUA permanece sem mudanças após o atentado de Londres. 



Alemanha. A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, também expressou consternação pelo atentado registrado em Londres e afirmou que seu governo apoiará o Reino Unido de forma firme e decidida na luta contra o terrorismo.

"Meus pensamentos estão com nossos amigos britânicos e todas as pessoas de Londres", afirmou Merkel em comunicado.

A chanceler alemã afirma que o ataque ainda deve ser esclarecido, mas reitera o pleno apoio da Alemanha e de seus cidadãos contra o terrorismo, luta que o país enfrentará "ao lado do Reino Unido".

A nota de Merkel foi publicada depois da primeira reação do governo da Alemanha, expressada pelo porta-voz, Steffen Seibert, que, no Twitter, afirmou que os pensamentos dos alemães estavam com os britânicos.

"Esperamos que todos estejam agora seguros e que todos os feridos possam se recuperar totalmente", escreveu o porta-voz logo depois do ataque. 

Brasil. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores condenou o ataque e manifestou solidariedade aos familiares e amigos das vítimas, ao povo e ao governo do Reino Unido.

Segundo o comunicado oficial do governo brasileiro, não há registros de brasileiros entre as vítimas do ataque. 

O ataque. Um homem armado com facas e dirigindo um carro semeou o pânico nesta quarta-feira, 22, nas imediações do Parlamento Britânico, obrigando os parlamentares a se esconder e os turistas a fugir apavorados.

O agressor atropelou um grupo de pessoas na ponte de Westminster antes de bater com seu carro contra as grades do Parlamento, apunhalar um agente da Polícia e ser abatido pelos disparos das forças de segurança, depois de matar três pessoas e ferir 20./EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.