'GPS chinês' terá alcance global até 2020

Com o sistema nacional, chineses buscam reduzir dependência do GPS dos Estados Unidos

O Estado de S.Paulo

24 Maio 2017 | 01h27

XANGAI - O sistema de navegação Beidou, o equivalente chinês ao norte-americano GPS, terá alcance global até o ano de 2020, após a China lançar os satélites necessários para aumentar seu alcance, informou a agência estatal Xinhua. 

Segundo o presidente do Comitê do Sistema de Navegação por Satélite da China, Wang Li, o sistema de navegação por satélite Beidou estará em 2018 em condições de prestar serviços aos países que participem das Novas Rotas da Seda, a iniciativa para revitalizar e ampliar o histórico corredor comercial do gigante asiático com outras nações.

Wang fez declarações sobre o tema em um fórum em Xangai, onde afirmou que seis ou oito satélites serão lançados ainda este ano. Para 2018, a expectativa é de ter lançado até 2018, informa a Xinhua.

Para 2020, os satélites Beidou formarão um sistema mundial completo de navegação por satélite.

A China começou a construir seu próprio sistema de navegação por satélite em 2000 como um sistema de posicionamento experimental para acabar com a dependência do sistema GPS dos Estados Unidos. 

Desde 2012, Beidou já proporcionou serviços de mensagens, navegação e meteorologia na região da Ásia-Pacífico. O valor da produção dos serviços de localização e navegação por satélite da China totalizou cerca de US$ 30 bilhões (R$ 98 bilhões), com o sistema Beidou responsável por mais de 30% do valor total. / EFE   

Mais conteúdo sobre:
XANGAIChinaEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.