Grã-Bretanha congela contas de religioso islâmico

O governo do Reino Unido anunciou hoje que congelará as contas bancárias de um dos religiosos fundamentalistas islâmicos mais "perigosos" do país. O objetivo é combater o financiamento ao terrorismo internacional. O religioso Abu Hamza, de 43 anos, trabalha em Londres e é um dos principais suspeitos de terrorismo na Grã-Bretanha. Ele aparece numa lista de extremistas publicada este fim de semana na reunião de ministros de Finanças do G-7, em Washington. Hamza é acusado de ser "um oficial" do grupo extremista islâmico Marinha de Áden, organização com sede no Oriente Médio acusada de seqüestrar e torturar cidadãos estrangeiros, além de preparar um atentado à bomba no Iêmen. O clérigo islâmico seria também o responsável por assassinatos de turistas ocidentais ocorridos nos últimos anos em países muçulmanos. De acordo com o Departamento de Tesouro dos Estados Unidos, Hamza é um dos 10 principais financiadores da Al-Qaeda e de Osama Bin Laden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.