Andrew Dowsett/Efe
Andrew Dowsett/Efe

Grã-Bretanha diz que 'intimidação' Argentina sobre Malvinas é ilegal

Londres rejeita decisão de Buenos Aires de impor sanções a petroleiras que atuam nas ilhas

Efe, Agência Estado

16 de março de 2012 | 12h41

LONDRES - O governo da Grã-Bretanha classificou nesta quinta-feira, 15, como "ilegal" a "intimidação" conduzida pela Argentina contra as empresas petroleiras que operam nas ilhas Malvinas. Buenos Aires anunciou que imporia sanções a empresas que fazem negócios com companhias que têm atividades no arquipélago.

 

Em declaração divulgada na noite da quinta, um porta-voz da Secretaria de Assuntos Exteriores de Londres destacou que a atitude argentina é "ilegal, imprópria e totalmente contraproducente". A nota ainda afirma que a exploração de hidrocarbonetos nas águas das ilhas Malvinas, chamadas de Falkland pelos britânicos, é uma ação comercial legítima.

 

O porta-voz explicou que "as últimas tentativas de prejudicar os meios de sobrevivência da população das ilhas refletem a forma de comportamento do governo argentino". "O governo britânico apoia o direito das ilhas Falkland explorarem seus próprios recursos naturais para seu desenvolvimento. Este direito é parte integral de sua autodeterminação", concluiu.

 

Na tarde da quinta, o chanceler argentino Héctor Timerman anunciou a decisão tomada pelo governo de Cristina Kirchner. As medidas consistirão em sanções penais, civis e administrativas contra bancos e outras empresas que fazem negócios com as petroleiras atuantes no arquipélago ao sul do território argentino.

 

"Está totalmente provado que é ilegítima qualquer atividade de exploração na zona em litígio, conforme decisão da Organização das Nações Unidas (ONU)", disse Timerman. "Vamos defender os recursos naturais do Atlântico Sul porque são propriedade do povo argentino", afirmou. Ele recordou que nenhum governo pode conceder unilateralmente licenças de exploração de recursos naturais em áreas que estão em disputa.

 

A medida de Buenos Aires deve aprofundar a tensão diplomática entre a Argentina e a Grã-Bretanha na disputa pela soberania das Ilhas Malvinas, faltando apenas algumas semanas para o aniversário de 30 anos da guerra pelo arquipélago.

 

Nos últimos meses, Londres e Buenos Aires trocaram farpas por causa das ilhas. A Argentina reclama da "militarização" e da ocupação britânica no Atlântico Sul, enquanto a Grã-Bretanha argumenta que a discussão em torno da soberania está fora de questão, a menos que os habitantes das Malvinas desejem debatê-la.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.