Andrew Winning/Reuters
Andrew Winning/Reuters

Grã-Bretanha enviará mais 500 militares ao Afeganistão

País vivencia escalada de violência; Gordon Brown estabeleceu condições para enviar novo contigente

Reuters,

14 de outubro de 2009 | 10h00

A Grã-Bretanha decidiu aumentar o número de soldados no Afeganistão a 9.500, informou nesta quarta-feira, 14, o primeiro-ministro Gordon Brown, o que significa um acréscimo de 500 militares em relação ao atual contingente no país asiático.

 

A pressão pela mudança de estratégia no Afeganistão aumentou nas últimas semanas, após o agravamento da violência na guerra de oito anos liderada pelos Estados Unidos contra o Taleban. Entre as alternativas, está enviar mais tropas para aumentar a segurança.

 

Brown disse que a Grã-Bretanha enviaria mais soldados desde que o governo afegão acelerasse o treinamento de suas próprios forças e disponibilizasse equipamento militar adequado para seus soldados.

 

"Me comprometi com um novo nível de forças britânicas, de 9.500 militares, que entrará em vigor assim que essas condições sejam cumpridas", disse Brown no parlamento.

 

O exército britânico é a segunda maior presença militar estrangeira, após os EUA. Há mais de 100 mil militares ocidentais na região, a maioria americanos.  Segundo a BBC Brasil, o general Stanley McChrystal, comandante das tropas internacionais no Afeganistão, havia pedido reforços de até 40 mil homens.

 

Até o momento, 221 britânicos já morreram em serviço no país, e Gordon Brown enfrenta pressões para repatriar parte do contingente. 

 

Comemoração

 

O porta-voz da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), James Appathurai, recebeu com satisfação o anúncio do aumento de tropas britânicas no Afeganistão, e mostrou sua confiança em que os outros aliados sigam seu exemplo. "O Afeganistão é um trabalho de equipe, e não só o Reino Unido, mas todos os aliados terão que ver como podem contribuir mais para o treinamento e equipamento das forças de segurança afegãs", disse o porta-voz, em entrevista coletiva.

 

A Otan iniciará no final deste mês uma missão de treinamento para a Polícia e o Exército afegãos, dentro do processo de progressiva "afeganização" da segurança no país. Tanto para esta missão de treinamento quanto para as outras operações da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), a Otan reivindica aos aliados mais esforços.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.