Reuters
Reuters

Grã Bretanha intercepta cargueiro com helicópteros russos para a Síria

Para ministro das Relações Exteriores britânico, envio de material de defesa à Síria deve acabar

Efe,

19 de junho de 2012 | 14h04

LONDRES - Um navio de carga com helicópteros militares de fabricação russa que se dirigia à Síria foi interceptado nesta terça-feira, 19, na costa escocesa, onde lhe foi retirado o seguro de navegação, informou a emissora britânica "BBC".

"Estamos cientes de um navio com uma carga de helicópteros de ataque russos restaurados que se dirige rumo à Síria", assinalou em comunicado o Ministério de Exteriores britânico.

Veja também:

linkGoverno sírio quer retirar civis da cidade de Homs

linkLiga Árabe defende envio de tropas de paz à Síria

tabela ESPECIAL: Primavera Árabe

O Foreign Office ressaltou na nota que o titular de Exteriores, William Hague, "deixou claro em sua reunião do dia 14 de junho" a seu colega russo, Sergei Lavrov, que "todos os envios de material de defesa à Síria deveriam terminar".

Ao conhecer a presença do cargueiro MV Alaed, quando estava a 80 quilômetros do litoral norte da Escócia, a seguradora britânica The Standard Club retirou a cobertura que lhe permite navegar, já que a embarcação "rompeu as normas internas" da mútua, segundo um comunicado da companhia. "Na sexta-feira pela tarde fomos informados que o navio poderia transportar armas, em particular helicópteros de ataque, mísseis e outras munições", afirmou a seguradora, que indicou que continua "investigando" a situação do navio.

A seguradora explicou que "o seguro conta com cláusulas de exclusão" e que, "caso alguém esteja envolvido em comércio não permitido pode ser cancelada". Segundo a "BBC", a embarcação estaria agora próxima das Ilhas Hébridas.

O Foreign Office assegurou hoje que está trabalhando junto com seus aliados internacionais para "fazer todo o possível para impedir que a capacidade do regime sírio para massacrar civis seja reforçada graças à assistência de outros países".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.