Grã-Bretanha prorroga prisão preventiva de 3 suspeitos de terrorismo

A justiça britânica prorrogou até 18 de setembro a prisão preventiva de três pessoas suspeitas de participação em uma conspiração para explodir aviões em viagens entre a Grã-Bretanha e os Estados Unidos, informou nesta quarta-feira a Polícia Metropolitana de Londres.Os muçulmanos britânicos Mohammed Yasar Gulzar, de 25 anos, Mohammed Shamin Uddin, de 35, e Nabeel Hussain, de 22, foram acusados nesta terça-feira de conspiração para assassinato e elaboração de ataque terrorista.De acordo com a Polícia Metropolitana de Londres, os três suspeitos pretendiam levar explosivos a bordo de até dez aviões que partiriam da Grã-Bretanha com destino aos Estados Unidos.Os três suspeitos foram levados hoje à Corte dos Magistrados da Cidade de Westminster, na região central de Londres, em meio a amplo aparato de segurança. O juiz Nicholas Evans, que presidiu a sessão, negou direito de fiança de Hussain. Os advogados dos outros dois réus não entraram com pedido de direito de pagar fiança.Inicialmente, os três deveriam ser levados novamente diante do tribunal em 4 de setembro, mas o juiz alterou a data para o dia 18 porque tanto a defesa quanto a promotoria pediram mais tempo para se preparar.Das 25 pessoas originalmente detidas entre 9 e 10 de agosto, quando a polícia britânica anunciou ter desbaratado a conspiração extremista, 15 foram indiciadas, cinco continuam detidas sem acusações pendentes e cinco foram libertadas por falta de provas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.