Grande explosão no centro de Jerusalém

Uma grande explosão estremeceu o centro de Jerusalém neste domingo, por volta do meio-dia (horário local). Um atentado suicida de um homem em uma sapataria matou o terrorista e feriu pelo menos 30 pessoas, conforme informou o porta-voz da polícia Kobi Zerayahu. A explosão ocorreu na Rua Jaffa, uma rua movimentada da cidade que já foi palco de outros atentados terroristas. Algumas vítimas permaneceram caídas na rua e os vidros das janelas de vários estabelecimentos foram estilhaçados com a força da explosão e pelo menos uma das lojas da rua pegou fogo. A Rua Jaffa, fica em uma zona comercial na zona oeste de Jerusalém. Várias ambulâncias e paramédicos dirigiram-se ao local, conforme informou Yoni Yagudovski, membro do serviço de resgate Magen David Adom. Segundo as autoridades israelenses, o homem-bomba foi o único que morreu no atentado, e teve pedaços de seu corpo espalhados pela rua. Entretanto, muitas testemunhas disseram ter visto um segundo corpo na rua. Uma testemunha, de nome Avi, disse ser médico e ter corrido para o local quando ao ouvir a explosão na rua. ?Pessoas estavam gemendo. Eu vi uma mulher com um corte na garganta. Coloquei um pedaço de pano no local e levei-a até a ambulância?, disse ele à rádio Israel. Nenhum grupo se responsabilizou pelo atentado, mas autoridades israelenses disseram que, em última instância, o responsável é o líder palestino Yasser Arafat. Arafat está ?encorajando o terrorismo, enviando atacantes suicidas a Jerusalém? disse Raanan Gissin, o porta-voz do primeiro-ministro Ariel Sharon. ?Nós vamos continuar sistematicamente desmantelando a infra-estrutura do terrorismo?, disse. A semana passada, um pistoleiro palestino perpetrou um ataque na mesma rua, matando duas mulheres e ferindo uma dezena de pessoas. O atacante foi morto a tiros pela polícia. Em agosto, outro atentado suicida matou 15 pessoas na pizzaria Sbarro, na mesma Rua Jaffa, a poucos metros do local onde ocorreu a explosão deste domingo. Os extremistas palestinos realizaram mais de 30 atentados suicidas durante a intensificação do conflito no Oriente Médio, que já completa 16 meses.

Agencia Estado,

27 Janeiro 2002 | 08h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.