Spencer Platt/Getty Images/AFP
Spencer Platt/Getty Images/AFP

Grande tempestade de neve atinge Nova York e suspende vacinação contra a covid-19

Cidade fechou escolas e decretou estado de emergência; nevasca pode ser uma das maiores da história da região

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2021 | 18h04
Atualizado 02 de fevereiro de 2021 | 18h06

NOVA YORK - Uma forte tempestade de inverno atingiu nesta segunda-feira, 1º, o nordeste dos Estados Unidos, suspendendo as vacinações contra a covid-19.  Se as previsões se confirmarem, ela pode ser uma das maiores da história a afetar a cidade de Nova York, que decretou estado de emergência.

O Serviço Nacional de Meteorologia (NWS) emitiu um aviso de tempestade para uma área que abrange da Virgínia ao Maine, na qual vivem dezenas de milhões de pessoas, e previu enormes nevascas com ventos de até 80 km/h em Nova York, New Jersey e partes da Filadélfia e Connecticut.

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, decretou no domingo estado de emergência na cidade de 8,6 milhões de habitantes, onde se aguarda cerca de 50 cm de neve. A Prefeitura decretou o fechamento das escolas segunda e terça-feira e restringiu os deslocamentos não essenciais, além de proibir os restaurantes de atender os clientes em mesas do lado de fora.

A tempestade interrompeu as vacinações contra o coronavírus em Nova York e New Jersey. Os agendamentos de segunda-feira precisaram ser cancelados ou remarcados.

"Esta é uma situação perigosa, onde há risco de morte. Esperem vários fechamentos (...) e se não forem trabalhadores essenciais, fiquem em casa", disse o governador de Nova York, Andrew Cuomo, em entrevista coletiva.

Chicago teve quase 18 centímetros de neve na manhã de domingo, levando ao cancelamento de algumas centenas de voos nos dois aeroportos da cidade. Em Wisconsin, a profundidade da neve em alguns condados próximos ao Lago Michigan atingiu mais de 38 centímetros, e a neve ainda estava caindo.

"Isso é mais neve do que vimos em uma década", disse Chris Stumpf, meteorologista do Serviço Meteorológico Nacional em Sullivan, Wisconsin, ao Milwaukee Journal Sentinel.

Top 10

A nevasca alcançava os 33 cm no Central Park na tarde desta segunda, e continuará caindo até terça-feira à tarde. "Se superarmos os 50 cm, será uma das 10 maiores tempestades de neve da cidade de Nova York", disse à Agência France-Presse Matthew Wunsch, meteorologista do NWS na cidade.

Uma queda de neve de 50,8 cm seria a oitava maior na história de Nova York, de acordo com dados coletados desde 1869 no Central Park. O recorde data de janeiro de 2016, quando nevou quase 70 cm.

Os três aeroportos de Nova York e sua área metropolitana cancelaram entre 65% e 90% de seus voos, segundo o site Flight Aware. Mais de 1.600 voos foram cancelados em todo o país, principalmente em Boston, Nova York, Washington e Filadélfia.

Em Washington, milhares de alunos deveriam voltar às aulas presencialmente nesta segunda-feira pela primeira vez desde março, mas seu retorno foi adiado para terça-feira.

Devido à tempestade de neve, o presidente dos Estados Unidos Joe Biden adiou uma visita planejada ao Departamento de Estado, e o Congresso restringiu suas atividades.

No zoológico nacial Smithsonian, pandas gigantes aproveitaram a oportunidade para brincar na neve e disparar pelas encostas, enquanto crianças e adultos faziam bonecos de neve e tiravam fotos ao lado dos monumentos do National Mall. /AFP e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.