Gravação da cabine de vôo do 11/9 vai a público pela 1ª vez

Os últimos minutos antes da queda do vôo 93 da United Air Lines sobre um campo aberto da Pennsylvania, em 11 de setembro de 2001, foram marcados por uma intensa briga entre os seqüestradores e os passageiros, que tentavam tomar o controle do avião. Em meio a grunhidos e sons de luta corporal, ouve-se uma voz: "Estou ferido." Em resposta, um seqüestrador pergunta: "Devemos terminar com isso logo?" Pouco depois, o avião perde o controle cai. A reconstrução dos momentos finais do vôo 93 foi possível depois que um promotor federal apresentou ao júri do caso Zacarias Moussaoui a gravação da caixa preta do avião. Moussaoui, um cidadão francês de ascendência marroquina, é o único processado nos EUA pelos atentados terroristas do setembro de 2001. Hamilton Peterson, cujos pais morreram em decorrência do seqüestro do avião, já havia ouvido a gravação, divulgada inicialmente apenas para os familiares das vítimas. Peterson acredita que a fita traz evidências de que os passageiros atacaram e mataram um dos seqüestradores. O áudio disponibilizado ao júri nesta quarta-feira permitiu a confirmação desta interpretação. Ainda assim, a comissão que investiga o 11 de Setembro concluiu apenas que houve uma briga pelo controle do avião, deixando em aberto qualquer conclusão acerca da morte de um dos seqüestradores. Interpretações Muito do que pôde ser ouvido durante a apresentação da gravação está em aberto. No último minuto do vôo, é possível ouvir vozes em inglês orientando o controle do avião, enquanto as informações do vôo mostram o manche da aeronave se mexendo abruptamente. Para alguns, a interpretação mais adequada é de que os passageiros e os seqüestradores brigaram pelo comando do avião. Antes disso, os seqüestradores haviam tentado impedir uma rebelião dos passageiros balançando a aeronave de um lado para outro. Às 10 horas, um dos seqüestradores pergunta em Árabe: "Devemos terminar com isso?" A resposta é "não, ainda não". Em seguida, uma voz pode ser ouvida em inglês: "Na cabine! Se não fizermos nada, morreremos!" Às 10h01 um dos seqüestradores volta a perguntar: "Podemos derrubar?" Agora a resposta é afirmativa: "Sim, derrube." Às 10h02 um dos seqüestradores grita: "Solte isso, solte." Um minuto depois, a gravação termina. Segundo as informações do vôo, neste momento o avião perde altitude rapidamente e toca o chão. A gravação da cabine do vôo 93 foi a única a que os investigadores tiveram acesso, embora quatro aviões tenham sido seqüestrados no 11 de Setembro. Após a apresentação da gravação, a juíza responsável pelo caso dispensou o júri, provocando a reação de Moussaoui: "Que deus amaldiçoe todos vocês", gritou. A defesa de Moussaoui, que já assumiu fazer parte da organização terrorista Al-Qaeda, começará suas explanações nesta quinta-feira. A gravação O vôo, um dos quatro seqüestrados no 11 de Setembro, caiu em um campo aberto da Pennsylvania depois de os passageiros tentarem retomar o controle da aeronave. A gravação das vozes da cabine ainda não haviam sido apresentadas publicamente. A gravação começa às 9h31 com a voz de um dos seqüestradores anunciando: "senhoras e senhores, aqui é o capitão... Nós temos uma bomba abordo, então permaneçam sentados." Nos minutos subseqüentes, os passageiros são constantemente avisados, em inglês, para não se moverem e "calarem a boca". Com o prosseguimento da gravação, fica claro que os passageiros tentaram inverter a situação. Um seqüestrador, provavelmente de dentro da cabine, diz: "Eles estão tentando entrar". Às 10h ouve-se uma voz: "Estou ferido!". Barulhos de luta podem ser ouvidos e o avião logo perde o controle. Moussaoui Moussaoui admitiu ser um conspirador terrorista e simpatizante da Al-Qaeda. Recentemente, o júri que decidirá seu futuro declarou-o elegível à pena de morte após determinar que suas ações resultaram na morte de ao menos uma das vítimas do 11 de Setembro. Embora Moussaoui estivesse em uma prisão de Minnesota no dia dos ataques, o júri conclui que suas mentiras aos agentes federais os impediram de identificar e parar alguns dos seqüestradores.

Agencia Estado,

12 Abril 2006 | 16h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.