Grécia acha difícil consenso na UE sobre o Iraque

A Grécia considerou que será "muito difícil" conseguir que todas as 15 nações da União Européia adotem uma posição comum sobre como resolver a crise iraquiana, numa cúpula de emergência da UE convocada pelo premier Costas Smitis para a semana que vem.O porta-voz do governo, Christos Protopapas, disse que os governos da UE só concordaram com a reunião de cúpula na segunda-feira "depois de muitas discussões"."Haverá dificuldades... Existem visões diferentes na Europa", afirmou Protopapas a repórteres.Segundo ele, a Grécia, na presidência rotativa da UE, vai trabalhar duro para conseguir que os líderes concordem com uma forma pacífica para resolver a crise.O objetivo da reunião dos líderes europeus em Bruxelas, Bélgica, é curar profundas feridas abertas dentro da UE e da Otan sobre o que é amplamente percebido como um desejo americano de liderar um assalto militar contra o Iraque.A reuniãos dos líderes da UE será precedida, no mesmo dia, por um encontro dos ministros do Exterior.Se for tomada uma posição comum em relação ao Iraque, Simitis irá apresentá-la na terça-feira, também em Bruxelas, aos líderes dos 10 países candidatos a entrarem na UE em 2004.Grã-Bretanha, Portugal, Dinamarca, Itália e Espanha apóiam a linha dura de Washington em relação ao Iraque. França, Alemanha, Bélgica, Áustria, Suécia e Luxemburgo, por outro lado, querem que os inspetores de armas da ONU concluam seus trabalhos.Protopapas explicou que, ao convocar a cúpula, a Grécia não pretende provocar "uma colisão com os EUA, mas sim convencer a comunidade internacional a buscar uma forma pacífica para resolver o problema iraquiano".Simitis disse que decidiu convocar a cúpula depois de seu chanceler, George Papandreou, ter conversado na segunda-feira com os inspetores de armas da ONU Hans Blix e Mohammed El-Baradei.A Grécia acredita que os inspetores irão apresentar uma relatório favorável sobre os trabalhos no Iraque ao Conselho de Segurança da ONU, na sexta-feira.Depois de conversar com os inspetores, Papandreou afirmou que "parece que finalmente existe um raio de luz".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.