Grécia afirma estar unida para garantir novo empréstimo

A Grécia precisará dar novos passos para resolver suas finanças públicas e vistoriar sua economia em troca do novo pacote de ajuda multimilionário, advertiu hoje o primeiro-ministro do país, Lucas Papademos. A autoridade grega também afirmou que os líderes políticos gregos estão unidos em torno desses esforços.

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2012 | 14h53

No comunicado após três horas de encontro com os líderes dos três partidos da coalizão de governo, Papademos disse que se a Grécia não conseguir garantir este novo empréstimo, o país se verá frente a frente a um default (calote) com "consequências pesadas" para a sociedade grega.

"As negociações não são fáceis. Apesar dos progressos que contribuíram para estabilizar a economia, apesar das mudanças significativas e dos grandes sacrifícios dos cidadãos, perda de objetivos e atrasos na implementação das políticas levaram nossos parceiros a exigirem novos compromissos", afirmou ele.

"Estamos em acordo absoluto sobre a necessidade de continuar as negociações e com a posição que teremos de apoiar", adicionou Papademos.

O encontro entre os líderes políticos e o primeiro-ministro ocorreu apenas um dia antes da reunião dos líderes europeus em Bruxelas e para a qual são esperadas discussões sobre o novo pacote de resgate multimilionário para o país e sobre o programa relacionado com as reformas.

Ontem, a Grécia e seus credores privados disseram que estão quase prontos para assinar o acordo de subscrição de 100 bilhões de euros de dívida do país, pavimentando o caminho para a Grécia assegurar a nova ajuda de seus parceiros europeus. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciaajuda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.