Grécia elege novo parlamento; socialistas têm vantagem

Os eleitores gregos poderão rejeitar hoje o governista partido conservador, após uma série de escândalos de corrupção, tumultos urbanos e fraco desempenho econômico. A oposição socialista do Partido Pasok conta com 5 a 7 pontos porcentuais de vantagem nas pesquisas de intenção de voto sobre o Partido da Nova Democracia do primeiro-ministro Costas Karamanlis, de 53 anos.

AE-AP, Agencia Estado

04 de outubro de 2009 | 10h53

Karamanlis tenta um terceiro mandato. Cerca de 9,8 milhões de eleitores foram convocados para votar. As urnas serão fechadas às 13h do horário de Brasília (19h no horário local), quando deverão sair as primeiras pesquisas de boca de urna.

Ainda não está claro, no entanto, se a vantagem dos socialistas se manterá. Se nenhum partido conquistar 150 das 300 cadeiras do parlamento e nenhum conseguir formar um governo de coalizão com partidos menores, novas eleições serão convocadas, provavelmente para novembro.

Karamanlis governa com apenas uma cadeira a mais que o preciso para formar a maioria e seu governo foi prejudicado por escândalos, com vários associados próximos forçados à renúncia após terem sido implicados em acordos escusos, incluída uma troca de terras com um monastério grego ortodoxo que custou ao governo mais de ? 100 milhões (US$ 145,37 milhões).

A economia da Grécia, que cresceu durante vários anos, deverá se contrair em 2009. O líder da oposição, George Papandreu, de 57 anos, diz que um pacote de estímulo econômico de 3 bilhões de euros é necessário para tirar a economia grega da recessão, criar empregos e aumentar salários e aposentadorias.

Já Karamanlis, se reeleito, planeja uma política de dois anos de austeridade nos gastos, combinada com a repressão à evasão fiscal. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciaeleiçõesCostas Karamanlis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.