Grécia enfrenta protestos após suicídio de aposentado

Ativistas contrários às medidas de austeridade do governo da Grécia planejam nesta quinta-feira novos protestos na principal praça da capital, Atenas, após o suicídio de um idoso que deixou um bilhete criticando os políticos pela grave crise financeira do país.

AE, Agência Estado

05 de abril de 2012 | 10h32

Mais de 1,5 mil pessoas se reuniram e entraram em confronto com a polícia ontem na Praça Syntagma, horas depois de um farmacêutico aposentado de 77 anos se matar no local com um tiro na cabeça.

Novas manifestações, que deverão contar com a participação de ativistas de mídia social e estudantes, estão marcadas para hoje.

No bilhete que deixou, o idoso disse que não tinha mais como sobreviver com sua aposentadoria e que esperava que os gregos "pegassem em armas e enforcassem os traidores" na praça. O suicídio aconteceu a poucas centenas de metros da entrada do prédio do Parlamento grego.

A Grécia está em seu quinto ano de uma grave recessão econômica, que se agravou com uma série de medidas de austeridade que o país adotou para atender as exigências de seus credores internacionais da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciasuicídioprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.