Grécia enfrenta terceiro dia de protestos violentos

Violência se espalhou por várias cidades e deixou lojas e bancos destruídos.

Da BBC Brasil, BBC

08 de dezembro de 2008 | 12h12

Manifestantes entraram em choque com a polícia pelo terceiro dia consecutivo na Grécia nesta segunda-feira, levando o primeiro-ministro do país, Costas Karamanlis, a fzazer um pronunciamento em rede nacional de TV pedindo calma à população.Estudantes e grupos anarquistas começaram os protestos no sábado, depois que um adolescente de 15 anos foi morto a tiros por um policial.Cerca de 300 estudantes enfrentaram a polícia em Salônica, a segunda maior cidade do país. Vários alunos da Universidade Aristóteles passaram a noite no campus armazenando bombas incendiárias antes de sair às ruas, disse o correspondente da BBC em Atenas, Malcolm Brabant.Segundo Malcolm, eles se abrigaram no campus por saber que a polícia não poderia segui-los, pois as leis na Grécia impedem que as autoridades entrem no perímetro de escolas e universidades.Houve violência também em Tricala, no coração da região agrícola da Grécia, e há notícia de que uma delegacia foi atacada na cidade portuária de Pireus.Cinco manifestações foram planejadas para as maiores cidades do país ainda nesta segunda-feira, inclusive um ato público do Partido Comunista e do partido socialista Pasok, de oposição, em Atenas, onde o adolescente morreu.Dois policiais foram presos por envolvimento no caso. Um deles, acusado de assassinato, disse que deu um tiro de advertência que ricocheteou e matou o rapaz, mas, de acordo com relato de testemunhas à TV grega, o oficial fez mira na vítima. O segundo policial foi acusado de cumplicidade.O exame necrológico no corpo de Alexandros Grigoropoulos deve revelar a trajetória da bala. A família do menino contratou um patologista independente para garantir que não haverá acobertamento.Indignação públicaA ala jovem do Pasok convocou protestos pacíficos, mas Brabant disse que os partidos da oposição estão capitalizando o sentimento nacional de indignação.E, apesar de as piores cenas de violência nas últimas décadas no país terem sido causadas pela ação de um único policial, o governo está sendo responsabilizado pelo caso, afirmou Brabant.Segundo o correspondente da BBC em Atenas, o governo é extremamente vulnerável, tendo enfrentado uma série de escândalos e tem uma maioria de apenas um representante no Parlamento.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
gréciapolíciaadolescentetiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.