REUTERS/Alkis Konstantinidis
REUTERS/Alkis Konstantinidis

Grécia envia refugiados para Luxemburgo em primeira realocação

Medida faz parte de um plano aprovado pela União Europeia para tentar aliviar o fluxo de refugiados que chegam às nações litorâneas

O Estado de S. Paulo

04 de novembro de 2015 | 08h46

ATENAS - A Grécia realizou nesta quarta-feira, 4, a primeira realocação de requerentes de asilo de seu território para Luxemburgo, como parte de um plano aprovado pela União Europeia (UE) para tentar aliviar o fluxo de refugiados que chegam às nações litorâneas.

Seis famílias da Síria e do Iraque foram realocadas de Atenas, as primeira do programa de dois anos financiado pela UE ao custo de 780 milhões de euros.

Pais sorridentes segurando seus filhos tiraram fotos com o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, e o chanceler de Luxemburgo, Jean Asselborn, ao lado de um avião na pista do Aeroporto Internacional de Atenas, antes de embarcarem.

"Trinta diante das milhares de pessoas que fugiram de suas casas na Síria e no Iraque são apenas uma gota no oceano", disse Tsipras. "Mas esperamos que isso se torne um córrego, e depois um rio de humanidade e responsabilidade compartilhada, porque esses são os princípios sobre os quais a União Europeia foi construída."

“Paredes, cercas e arames farpados não podem ser parte da UE”, disse Asselborn. Se a Europa falhar em mudar essa visão, assim como a crise da xenofobia, “então os valores do bloco estarão destruídos”.

Mais de 580 mil refugiados entraram na Grécia através da longa fronteira marítima com a Turquia em 2015. Em setembro, a UE aprovou a transferência de cerca de 160 mil requerentes de asilo dos Estados-membros afetados diretamente pela crise.

Cerca de 86 pessoas já foram transferidas da Itália para a Suécia e a Finlândia graças ao programa.

Mais de 600 mil refugiados e imigrantes chegaram à Grécia neste ano. Centenas morreram na tentativa de atravessar o Mar Egeu. Outra cinco pessoas, três crianças e dois homens, se afogaram na noite de terça-feira em um acidente envolvendo um barco que transportava 70 imigrantes. A guarda costeira disse hoje que 65 pessoas foram resgatadas. /REUTERS e ASSOCIATED PRESS

Tudo o que sabemos sobre:
imigraçãoEuropacrise migratória

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.