Grécia reforça a fronteira para conter refugiados sírios

A Grécia está quadruplicando o número de guardas na fronteira com a Turquia e reforçando a segurança na Trácia, em parte por causa de um possível fluxo de refugiados sírios, disse nesta segunda-feira o ministro do Interior grego, Nikos Dendias. A Grécia é a porta de entrada principal para milhares de imigrantes clandestinos do Oriente Médio e da Ásia que tentam entrar na União Europeia (UE), atravessando a fronteira com a Turquia na Trácia. Já a Turquia está abrigando dezenas de milhares de sírios que fogem da guerra civil.

AE, Agência Estado

30 de julho de 2012 | 16h27

Dendias disse que um adicional de 1.800 guardas foram enviados à fronteira terrestre com a Turquia. A Grécia tem atualmente 600 guardas na região. Dendias também disse que 26 barreiras flutuantes serão instaladas ao longo do rio Maritsa (Evros, em grego), que faz a fronteira entre Grécia e Turquia na Trácia.

Não houve um sinal evidente do aumento do número de sírios buscando refúgio na Grécia, mas o governo grego afirma estar sob pressão para reprimir a imigração clandestina como um todo, no momento em que o país luta contra uma recessão que já dura mais de cinco anos e com uma taxa de desemprego que ultrapassou 20% da força de trabalho.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.