Grécia:Extrema-direita pede que oposição apoie coalizão

O partido Laos, de extrema-direita, da Grécia pediu que Antonis Samaras, líder do maior partido de oposição, Nova Democracia, reconsidere sua rejeição à tentativa do primeiro-ministro, George Papandreou, de formar um governo de coalizão.

REGINA CARDEAL, Agência Estado

05 de novembro de 2011 | 13h13

"Estou fazendo um apelo público para que Samaras reconsidere sua decisão", disse Giorgios Karatzaferis, líder do Laos, com comunicado. "Demos o primeiro passo, a saída de George Papandreou do poder. Precisamos dar o segundo passo juntos", afirmou.

Papandreou iniciou neste sábado negociações para formar um governo de coalizão que garanta uma ampla aprovação ao último acordo de ajuda internacional à Grécia e evite uma catástrofe financeira para o endividado país.

Em entrevista aos jornalistas, Papandreou indicou claramente que o governo a ser formado terá poder para aprovar legislação referente ao pacote de socorro, confirmando diferenças com a Nova Democracia.

Depois de Papandreou ter obtido ontem à noite um voto de confiança do Parlamento, Samaras pediu eleições imediatas, afirmando que Papandreou rejeitou sua proposta de uma coalizão não partidária que apenas ratificaria o acordo de empréstimo, mas não a implementação das medidas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciacoalisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.