Gregos começam a votar em eleição crucial

Os gregos começaram a votar neste domingo em uma eleição que é vista como um referendo sobre o futuro do país no euro. Em jogo não está apenas o controle do Parlamento de 300 assentos, mas talvez também o destino da moeda única entre 17 países da região.

RENAN CARREIRA, Agência Estado

17 de junho de 2012 | 08h59

Os eleitores enfrentam a escolha entre duas visões sobre como o país deve confrontar um duro programa de austeridade requerido pelos europeus e pelos credores internacionais em troca de ajuda. De um lado está o partido de direita Nova Democracia, de Antonis Samaras, a favor do segundo pacote internacional de socorro ao país e suas medidas de austeridades; do outro, a Coalizão de Esquerda Radical (Syriza), de Alexis Tsipras.

Em uma série de declarações públicas nas últimas semanas, os líderes europeus avisaram os eleitores gregos que, se o país for incapaz ou se não estiver disposto a aceitar as condições impostas como parte do resgate de 173 bilhões de euros da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI), Bruxelas pode suspender a ajuda, levando a Grécia a sair da moeda comum, o que pode gerar uma crise com consequências para outros países.

As últimas pesquisas não oficiais indicam que o Nova Democracia lidera as intenções de voto por uma margem estreita, mas analistas dizem que a votação permanece indefinida. Os gregos vão às urnas um mês e 11 dias após a primeira eleição ao Parlamento, que resultou em um impasse. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Gréciaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.