Gregos fazem greve geral após morte de jovem

Mais de 10 mil pessoas estão realizando manifestações hoje no centro de Atenas, após quatro noites de violência na Grécia detonadas pela morte de um jovem por policiais. O protesto inicialmente faz parte de uma greve geral de 24 horas. Os serviços de emergência estão em alerta pela cidade. Há o temor de que haja novos confrontos, em um contexto de aumento da pressão sobre o governo conservador.O adolescente Alexandros Grigoropoulos, de 15 anos, foi morto pela polícia a tiros na noite de sábado, em um caso não totalmente esclarecido. Dois policiais foram presos - um deles acusados por homicídio. Os policiais alegam que não fizeram nada ilegal, porém testemunhas afirmam que eles atiraram contra um grupo de jovens.A manifestação ganha também contornos de protesto contra a forma com que o governo lida com a crise nacional. Os sindicatos rejeitaram os apelos do primeiro-ministro Costas Karamanlis para cancelar as manifestações, afirmando também que os gregos têm o direito de protestar contra as dificuldades financeiras."O governo não consegue lidar com essa crise e perdeu a confiança do povo grego", afirmou o líder oposicionista George Papandreou, dos Socialistas. Grupos em sua maioria formados por jovens mascarados tomaram as ruas de várias cidades gregas, virando carros, depredando lojas e incendiando latas de lixo. Vários proprietários reclamam que a polícia antidistúrbio é incapaz de proteger as propriedades.Uma pesquisa divulgada hoje pelo jornal Kathimerini mostra que, para 68% dos consultados, o governo lidou incorretamente com a crise. Apenas 18% dos entrevistados concordam com a atuação governamental. A sondagem da empresa Public Issues tem margem de erro de 4,5 pontos, para mais ou para menos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.