Gregos protestam contra novas medidas de austeridade

Mais de dois mil funcionários municipais se reuniram no centro de Atenas nesta terça-feira para protestar contra as novas medidas de austeridade que vão afetar profundamente o funcionalismo público. Organizadores da manifestação afirmaram que mais de dois terços dos 325 órgãos municipais estão fechados ao público devido aos protestos.

AE - AP, Agência Estado

20 de novembro de 2012 | 14h05

O governo da Grécia apresentou ontem medidas legislativas de emergência para assegurar seu compromisso de austeridade aos credores. Os dois atos legislativos devem ser aprovados pelo Parlamento em até 40 dias. Eles dizem respeito a cortes de gastos e reformas, que incluem desde melhorar a contabilidade dos gastos governamentais até reduzir as pensões de funcionários do Parlamento e seus familiares.

As medidas de austeridade foram exigidas pelos credores internacionais da Grécia, que se reúnem hoje em Bruxelas para discutir o desembolso de mais uma parcela do resgate financeiro ao país.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciaprotestosfuncionalismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.