Gregos querem governo de coalizão após eleição

A maioria dos cidadãos gregos rejeita um plano de recuperação econômica imposto pelos credores internacionais do país em troca de um pacote de ajuda e preferem que um governo de coalizão se forme nas próximas eleições, mostraram pesquisas de opinião neste sábado.

CLARISSA MANGUEIRA, Agência Estado

14 de abril de 2012 | 10h55

Uma pesquisa realizada pela empresa MRB indicou que 26,2% dos entrevistados pretendem votar em um partido contrário ao impopular pacote de resgate da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI) na eleição prevista para o dia 6 de maio.

Em resposta à outra pergunta, 66% das pessoas pesquisadas responderam que a Grécia deverá continuar na zona do euro, mas adotar um plano de recuperação alternativo, enquanto 13,2% disseram que o país deveria abandonar o bloco.

A pesquisa feita para o jornal semanal Real News também mostrou uma avaliação negativa do atual governo do primeiro-ministro Lucas Papademos, que liderou uma coalizão socialista conservadora temporária que intermediou um novo pacote de socorro da UE e do FMI em fevereiro e um corte de dívida enorme em março.

Mesmo assim, 65% dos entrevistados disseram que um governo de coalizão seria mais adequado para enfrentar os desafios em curso no país.

Outra pesquisa da empresa Pulse para o jornal Eleftheros Typos apontou que 64% dos entrevistados preferem uma coalizão seja formada após as eleições.

No entanto, Antonis Samaras, líder do partido conservador que está na frente da corrida para a votação, rejeitou a ideia de outra coalizão com os socialistas.

Os conservadores e socialistas, que se alternaram no poder nas últimas três décadas, perderam apoio de partidos de esquerda que se opõem à austeridade. Alguns partidos dissidentes surgiram também, tornando a campanha a mais incerta em décadas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciaeleiçãocoalizão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.