Greve de fome faz 62ª vítima na Turquia

Uma prisioneira esquerdista morreu de fome ontem, elevando a 62 o número de mortos em uma greve de fome em protesto contra o sistema penitenciário turco, informou nesta segunda-feira o grupo Ozgur Tayad, de apoio aos prisioneiros.Feride Harman, de 27 anos, morreu ontem à noite em sua casa, após passar mais de um ano alimentando-se apenas de água com açúcar e suplementos de vitaminas.Harman cumpria pena na penitenciária de Malatya, no sudeste da Turquia, por pertencer ao Partido Revolucionário da Libertação do Povo-Frente (DHKP-C, por suas iniciais em turco), um grupo marxista ilegal.Harman foi libertada em agosto, sendo enviada primeiro a um hospital e, mais tarde, à casa de sua família. Para prolongar a greve de fome, os manifestantes vêm tomando vitaminas e água com açúcar. Grupos de defesa dos direitos humanos acusam agentes penitenciários de terem forçado manifestantes a comer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.