Greve de fome faz 64ª vítima na Turquia

Uma prisioneira morreu após mais de um ano em greve de fome, elevando a 64 o número de mortos em um protesto de detentos esquerdistas contra o sistema penitenciário da Turquia, informou neste domingo um grupo de apoio aos presos.Ozlem Turk, de 27 anos, morreu ontem, após 471 dias em jejum, informou o grupo Ozgur Tayad. Os manifestantes tomam vitaminas e água com açúcar para estender a greve de fome. Alguns grupos de direitos humanos vêm denunciando que agentes penitenciários alimentam detentos com o uso da força.Turk foi presa por pertencer ao Partido Revolucionário para a Libertação do Povo-Frente, um grupo proscrito pelo governo, informou o Ozgur Tayad. Devido à deterioração de seu estado clínico, ela foi transferida em agosto ao Hospital de Ancara, onde faleceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.