Greve de fome mata 19 presos na Turquia

O número de mortes causadas por uma greve de fome de detentos numa prisão da Turquia subiu para 19 nesta quarta-feira. Mais duas pessoas morreram devido a um protesto, que já dura quase 180 dias, pela transferência de presos a penitenciárias de segurança máxima.Sedat Karakurt, de 25 anos, morreu hoje em um hospital da cidade de Edirne, no noroeste do país, após 177 dias de greve de fome, informou a Associação de Direitos Humanos da Turquia. Karakurt era membro do grupo clandestino Frente Revolucionária da Libertação Popular.Erdogan Guler, de 29 anos, também morreu nesta quarta-feira, em sua casa, na cidade portuária de Izmir. Guler não estava detido, mas cumpriu um jejum de 159 dias em solidariedade aos presos políticos, disse Saban Dayanan, funcionário da Associação de Direitos Humanos.Cerca de 250 presos e seus familiares participam de uma greve de fome em protesto contra a transferência a prisões cujas celas abrigam entre um e três presos. Os participantes do protesto alegam que nessas cadeias, os detidos são submetidos a abusos por parte dos agentes penitenciários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.