Greve de fome nas prisões turcas faz a 61.ª vítima

Mais um prisioneiro morreu em greve de fome, neste domingo, em protesto contra o sistema penitenciário da Turquia. Feridun Yucel Batu, de 33 anos, é a 61ª vítima da greve. Ele morreu num hospital da cidade costeira de Izmir após oito meses de protesto, informou a agência de notícias Anatolia. Sua morte ocorre apenas um dia após o falecimento de uma prisioneira em Istambul. Batu cumpria sentença de 12 anos de prisão por pertencer ao Partido Revolucionário de Libertação do Povo-Frente, agremiação marxista conhecida pela sigla DHKP-C e colocada na ilegalidade pelo governo turco. Prisioneiros esquerdistas e simpatizantes iniciaram em outubro de 2000 uma campanha de greve de fome depois de os detidos políticos terem sido transferidos para celas praticamente isoladas em penitenciárias de segurança máxima.

Agencia Estado,

01 Dezembro 2002 | 12h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.