Greve de fome nas prisões turcas faz a 61.ª vítima

Mais um prisioneiro morreu em greve de fome, neste domingo, em protesto contra o sistema penitenciário da Turquia. Feridun Yucel Batu, de 33 anos, é a 61ª vítima da greve. Ele morreu num hospital da cidade costeira de Izmir após oito meses de protesto, informou a agência denotícias Anatolia. Sua morte ocorre apenas um dia após o falecimento de uma prisioneira em Istambul.Batu cumpria sentença de 12 anos de prisão por pertencer ao Partido Revolucionário de Libertação do Povo-Frente, agremiação marxista conhecida pela sigla DHKP-C e colocada na ilegalidadepelo governo turco. Prisioneiros esquerdistas e simpatizantes iniciaram em outubrode 2000 uma campanha de greve de fome depois de os detidos políticos terem sido transferidos para celas praticamente isoladas em penitenciárias de segurança máxima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.