Alessandro Di Marco/Efe
Alessandro Di Marco/Efe

Greve dos tipógrafos deixa Itália sem seus principais jornais

Profissionais decidiram somar-se à greve convocada pelos três maiores sindicatos do país

Efe,

13 de dezembro de 2011 | 09h54

ROMA - A greve de três horas convocada pelos sindicatos italianos contra o plano de ajuste aprovado pelo Governo de Mario Monti foi estendida pelos tipógrafos por todo o dia de hoje e deixou a Itália sem a maior parte de seus periódicos nesta terça-feira, 13.

Os profissionais decidiram somar-se à greve convocada pelos três maiores sindicatos do país - CGIL, CISL e UIL - para protestar pelo plano de ajuste considerado pouco "equitativo", mas estendeu a greve por toda a jornada de hoje ao considerar que "afeta as condições do setor da informação, já duramente atingido pelos efeitos da crise".

 

Por causa da greve não chegaram às bancas os principais diários do país, como o "Corriere della Sera", o "La Repubblica" e o "La Stampa", assim como o econômico "Il Sole 24 ore" e o esportivo "La Gazzetta dello Sport".

Os únicos jornais disponíveis hoje na Itália são o "Il Giornale", o "Libero" e o "Corriere dello Sport".

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.